domingo, 21 de dezembro de 2008

VANDINHO VAI VOLTAR PARA O AVAÍ

Li essa declaração hoje: "— O Vandinho é um jogador que foi muito mal-aproveitado no Flamengo. Interessa, sim. Gostaríamos de contar com ele e com o Eltinho — fala Luiz Alberto.. "
Por que o Fla tem que passar atestado de incompetência. Por que isso sempre acontece?
O único dos "reforços" que realmente rendeu alguma coisa, está nos escapando feito areia por entre os dedos. Bom mesmo é ficar com Josiel, pelo jeito. Esse Mengão ainda me mata de desgosto.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Título mundial do Flamengo completa 27 anos


Flamengo venceu o Liverpool por 3 a 0, em 1981, na final do Mundial
Nunes e Adílio marcaram os gols na vitória sobre o Liverpool e comemoraram o maior título da história do Flamengo
LANCEPRESS!
Neste sábado, 13 de dezembro, é um dia especial para todos os rubro-negros. Exatamente 27 anos atrás, o Flamengo conquistou o Mundial Interclubes com a brilhante vitória sobre o Liverpool (ING), por 3 a 0.
Os gols daquela épica final em Tóquio, no Japão, foram marcados por Nunes (dois) e Adílio. Esta conquista foi a cereja no bolo daquela geração do Flamengo, que também faturou quatro Cariocas (78/79/79/81), três Brasileiros (80/82/83) e uma Libertadores (81).
Integrantes dessa geração têm um encontro marcado para a próxima segunda-feira. O motivo da reunião são os 30 anos do gol de Rondinelli, na final do Carioca de 78.
Confira a ficha técnica do jogo:
FLAMENGO 3x0 LIVERPOOL
Data: 13 de Dezembro de 1981Local: Estádio Nacional, Tóquio (JAP)Árbitro: Rúbio Vazques (México)
GOLS: Nunes, 13'/1ºT (1-0); Adílio, 34'/1ºT (2-0); Nunes, 41'/1ºT (3-0).
FLAMENGO: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Adílio, Andrade e Zico; Tita, Lico e Nunes. Técnico: Paulo César Carpeggiani.
LIVERPOOL: Grobbelaar; Neal, R. Kennedy, Lawnson e Thompson; Hansen, Dalglish e Lee; Johnstone, Souness e McDermott (Johnson). Técnico: Paisley.

(AgênciaFla)

sábado, 13 de dezembro de 2008

Somos ou não somos?

Estava no blog "kibeloco"























Brincadeiras à parte, parabéns ao tricolor paulista!

domingo, 7 de dezembro de 2008

Mengão perde para o Atlético-PR por 5 a 3

Os dois times tinham objetivos claros e distintos na partida deste domingo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, desde que a bola rolou, apenas o Atlético-PR demonstrou vontade de consegui-lo. No fim, venceu facilmente o Flamengo por 5 a 3, na Arena da Baixada, se garantiu na Primeira Divisão e acabou com o sonho do adversário de disputar a próxima Taça Libertadores.

Com o estádio lotado e direito a uma prece coletiva antes do jogo, o Furacão se inspirou e engoliu os visitantes física e taticamente. No fim, o técnico Geninho, que assumiu o time em situação crítica, teve o nome cantado em coro pela torcida. A equipe termina a competição com 45 pontos e classificada para a Copa Sul-Americana, assim como o Fla.

O mesmo direito terá o Flamengo, quinto colocado, com 64 pontos. Entretanto, para os cariocas resta o gosto de frustração. O Palmeiras perdeu para o Botafogo por 1 a 0 e bastava uma vitória fora de casa para o time retornar ao G-4. Pelo que apresentou o Flamengo, a derrota ficou barata. A atuação desastrosa termina de forma melancólica a era Caio Júnior no comando da equipe. O treinador deve entregar o cargo ainda nesta semana.

Atlético-PR domina, e Fla sai no lucro na primeira etapa

Empurrado por sua torcida, o Atlético-PR iniciou a partida no campo de ataque, mas sem criar oportunidades de gol. Sem conseguir trocar passes do meio-campo para frente, o Flamengo ficou preso e sem saída de bola. Mesmo assim, deu o primeiro chute perigoso. Aos dez minutos, Diego Tardelli recebeu na intermediária e chutou. Galatto espalmou.

Futpédia: confira a história dos confrontos entre os times em Brasileiros

A fragilidade do time montado por Caio Júnior ficou evidente aos 12 minutos. Depois de uma falta lateral cobrada por Netinho, Toró subiu mal e cabeceou para o próprio gol. Festa no “caldeirão” da Baixada.

Soberanos, os anfitriões passaram a controlar a partida. Já a postura do Flamengo era incompatível com um time que disputa vaga na Libertadores. O lance do segundo gol atleticano refletiu bem a falta de comprometimento dos jogadores. Em uma bola tranqüila, o capitão Fábio Luciano 'ajeitou' de cabeça para Rafael Moura. Livre, o atacante chutou, e Bruno defendeu. Ainda sem marcação, o mesmo Rafael correu e tocou para o gol vazio, aos 27.

A vantagem e a facilidade fizeram mal ao Atlético-PR. Em lance bobo, Vandinho foi derrubado dentro da área. Pênalti. Marcelinho Paraíba cobrou forte e diminuiu, aos 35.

No momento em que os cariocas esboçavam a reação, Júlio César, aos 39 minutos, aproveitou falha dupla de Juan, e Bruno e fez o terceiro gol do Furacão chutando rasteiro da intermediária. Mas houve tempo de o time visitante diminuir ainda no primeiro tempo. Marcelinho avançou, chutou forte, a bola desviou na zaga e entrou no alto, sem chance para Galatto.

Com os resultados parciais, o Atlético-PR safava-se do rebaixamento sem sustos. Por isso, reduziu o ritmo na etapa final. Aos 11 minutos, Rafael Moura chutou rasteiro da entrada da área, e Bruno defendeu com dificuldade.

Entre erros a granel, os minutos passaram, e apenas o time paranaense conseguia seu objetivo. Aos 29 minutos, Zé Antônio, que acabara de entrar, recebeu na área e teve tempo de dominar e escolher o canto para fazer o quarto. Perdido, o Flamengo se desesperou, e Juan e Jaílton discutiram.
Angelim ainda acertou a trave aos 33, e Fernandão perdeu gol incrível aos 37: após receber do próprio Angelim e, livre na pequena área, escorar em cima de Gallatto.

Aos 41, Alan Bahia deslocou Bruno com uma paradinha e marcou o quinto em cobrança de pênalti. Aos 43, Bruno foi ao ataque cobrar falta na entrada da área e acertou a trave. No último lance, Marcelinho Paraíba fez o terceiro dos cariocas cobrando mais um pênalti. Fim de jogo e alívio para o Rubro-Negro paranaense. Do lado carioca, apenas lamentações.

Fonte: Globo.com

domingo, 30 de novembro de 2008

Fla abre três de vantagem, pára e dá vexame contra o Goiás

Mengão demonstra toda a sua irregularidade e fica em situação complicada na busca por vaga na Libertadores
Na despedida de sua torcida, o Flamengo comprovou que o time atual é capaz de façanhas negativas que até o mais pessimista duvida. Depois de abrir três gols de vantagem com tranqüilidade, a equipe estacionou e permitiu o empate do Goiás por 3 a 3, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro.
O apagão diante da torcida dificulta ainda mais as chances de a equipe chegar à Taça Libertadores. Com 64 pontos, o time está em quinto lugar, empatado com o Cruzeiro. Porém, leva desvantagem no número de vitórias. Na última rodada, a equipe visita o Atlético-PR.
Xingado pela torcida, o técnico Caio Júnior, que não fica na Gávea em 2009, teve uma despedida melancólica do Maracanã e repetiu outros resultados decepcionantes do ano, como as derrotas por 3 a 0 para o América-MEX (ainda sob o comando de Joel Santana) e Atlético-MG, além do empate por 2 a 2 diante da Portuguesa.
Sem muita ambição no Brasileirão, o Goiás sobrou no segundo tempo e só não venceu porque os atacantes perderam diversas oportunidades. O time tem 53 pontos e fica na sétima colocação. A despedida será no próximo domingo, contra o São Paulo, no estádio Bezerrão.
Desde o primeiro passe errado do Flamengo, a torcida demonstrou que a paciência seria pequena. Desta forma, coube aos jogadores contornarem a situação. Aos quatro minutos, Juan recebeu de Obina, driblou Harlei e chutou no lado de fora da rede.
Um minuto depois, Ronaldo Angelim foi à linha de fundo e cruzou para Obina cabecear no canto direito de Harlei e abrir o placar no Maracanã.
Sem objetivos concretos nestes dois jogos finais, o Goiás deu espaços defensivos. Luizinho, substituto de Leo Moura, se aproveitou e chutou forte da entrada da área. Harlei se esticou e fez a defesa.
O Goiás melhorou e começou a ter mais posse de bola no campo ofensivo. Aos 24, Fábio Bahia arriscou da entrada da área e Bruno espalmou.
Em cobrança de falta rápida, aos 28, Kleberson tabelou com Juan, o lateral-esquerdo entrou na frente de Harlei e tocou por baixo, para ampliar a vantagem rubro-negra.
Jogando com facilidade, o Flamengo fez um belo terceiro gol. Obina deu um drible desconcertante em um zagueiro, deu para Ibson e recebeu na frente. Com tranqüilidade, driblou Harlei e tocou para as redes. Tudo isso em 35 minutos.
No entanto, o que parecia fácil começou a se complicar em mais uma bobeada de Jaílton. Atabalhoado, o volante cometeu pênalti em Thiago Feltri. Paulo Baier bateu no centro do gol, aos 37, e diminuiu para o Esmeraldino. A defesa do Flamengo cochilou aos 43 minutos e permitiu que os goianos fizessem linha de passe dentro da área rubro-negra. Ernando, livre na segunda trave, cabeceou para o chão e fez o segundo.
Goiás cala o Maracanã
A etapa final não repetiu o nível dos primeiros 45 minutos. Os erros aumentaram e as chances de gol rarearam. Obina recebeu de Fierro aos dez, mas chutou torto e perdeu a chance. O Goiás calou o Maracanã aos 19 minutos do segundo tempo. Vitor lançou nas costas de Fierro, Thiago Feltri avançou e bateu rasteiro à esquerda de Bruno para deixar tudo igual.
Ibson, aos 23 minutos, quase desempatou de bicicleta, mas Henrique salvou de cabeça sobre a linha. Entre um grito de "burro" e a irritação pela apatia da equipe, a torcida entrou em desespero.
O Goiás começou a mandar no jogo. Vítor obrigou Bruno a uma grande defesa. Pouco depois, aos 37, Paulo Baier perdeu dentro da pequena área. Depois, aos 41 minutos, Fernando acertou a trave direita de Bruno.
Nos minutos finais, Bruno subiu ao ataque em busca do gol da vitória, chegou a escorar a bola, mas Kleberson tocou de calcanhar e perdeu a chance. Aos 49, Vandinho recebeu na área, dominou no peito e chutou na trave direita. A torcida foi ao desespero e a vaga na Libertadores ficou ainda mais longe.
Ficha técnica:
FLAMENGO 3 x 3 GOIÁS
Bruno; Luizinho (Fierro), Jaílton, Ronaldo Angelim e Juan; Toró (Vandinho), Aírton, Kleberson e Ibson; Marcelinho Paraíba (Everton) e Obina. Harlei; Henrique, Ernando e Rafael Marques; Vítor, Fernando (Fredson), Fábio Bahia, Paulo Baier, Thiago Feltri e Júlio César (Adriano Gabiru); Iarley (Alex Terra).
Técnico: Caio Júnior. Técnico: Hélio dos Anjos.
Gols: Obina, aos cinco, Juan, aos 28, Obina, aos 35, Paulo Baier, aos 37, Ernando, aos 43 minutos do primeiro tempo; Thiago Feltri, aos 19 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Rafael Marques, Vítor, Fábio Bahia, Iarley, Fernando, Adriano Gabiru (Goiás); Kleberson, Fierro Jaílton e Ibson (Flamengo).
Estádio: Maracanã. Data: 30/11/2008. Árbitro: Sergio da Silva Carvalho (DF) Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa /RN) e Marrubson Melo (SP).

Fonte Globo.com
Eduardo Peixoto
Rio de Janeiro

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Flamengo se arma para enfrentar o Goiás

Kleberson treina forte na Gávea Rubro-negro começou hoje à tarde, em um treinamento técnico, a preparação para o confronto de domingo.
O elenco do Flamengo se reapresentou na tarde desta terça-feira, na Gávea. O rubro-negro iniciou a preparação para o jogo de domingo, contra o Goiás, no Maracanã, em partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Caio Júnior aproveitou o dia para treinar a parte técnica da equipe. O treinador dividiu o elenco em três equipes, que se enfrentavam em um campo reduzido. As ausências foram o lateral-direito Léo Moura e o volante Airton. Os dois fizeram um trabalho à parte na academia do Clube.

Flamengo perde por 3 a 2 para o Cruzeiro


Léo Moura tenta levar o Fla ao ataque Carlos Eugênio Simon não marca pênalti em Tardelli aos 45m e tira o Flamengo do G4
Em uma grande partida, o Flamengo mostrou raça, mas não evitou a derrota por 3 a 2 para o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão. Ibson e Obina marcaram os gols do Fla, que caiu para a quinta colocação no Campeonato Brasileiro, com 63 pontos. O resultado da partida poderia ter sido diferente, já que o árbitro FIFA Carlos Eugênio Simon não marcou pênalti escandaloso de Leo Fortunato em Diego Tardelli, aos 45 minutos de segundo tempo.
A partida começou movimentada, com as duas equipes buscando o gol a todo o momento. Jajá, para o Cruzeiro, e Ibson, para o Fla, tiveram as primeiras oportunidades de gol. Aos três minutos, Simon marcou tiro indireto na área rubro-negra. O árbitro interpretou que Kleberson recuou a uma bola para Bruno. Na cobrança, Juan cortou para o Flamengo.
O Flamengo chegou novamente com perigo aos oito minutos. Marcelinho Paraíba cruzou da esquerda e Ibson quase completo na segunda trave. Aos 19 minutos, Gérson Magrão serviu Jajá, que perdeu grande chance na frente de Bruno. Três minutos depois, o mesmo Jajá fez grande jogada e acertou o travessão de Bruno. Airton sentiu dores no joelho e teve que ser substituído por Toró.
Aos 33 minutos o Cruzeiro abriu o placar. Ramires recebeu pela esquerda e achou Fernandinho livre para marcar: 1 a 0 no Mineirão. A equipe da Gávea ainda teve a chance de empatar nos últimos minutos, mas Fábio segurou o resultado para o time da casa.
O Flamengo voltou para a segunda etapa com a mesma formação, mas com um ímpeto ofensivo muito maior. Depois de Ramires perder uma grande chance na cara de Bruno, aos três minutos, o rubro-negro passou a controlar as ações do jogo. Aos nove minutos, Marcelinho Paraíba chutou da entrada da área e Fábio cortou para a linha de fundo. Marcelinho bateu o escanteio pela direita e Ibson subiu para empatar de cabeça: 1 a 1.
O Cruzeiro respondeu aos 18 minutos. Fabrício carregou pelo meio e chutou forte. Bruno fez linda defesa. Um minuto depois, a zaga rubro-negra marcou mal e Thiago entrou livre para desempatar: 2 a 1 Cruzeiro. O rubro-negro não sentiu o golpe e empatou seis minutos depois. Juan recebeu de Ibson e cruzou na área para Obina. O atacante girou em cima de Leo Fortunato e marcou no canto direito de Fábio: 2 a 2 e festa da torcida rubro-negra no Mineirão.
Aos 28 minutos, Léo Moura fez boa jogada pela direita e cruzou para Juan, que na segunda trave, completou para fora. O jogo era bastante equilibrado e a equipe mineira marcou aos 39 minutos. Mais uma vez a zaga do Fla marcou mal, e Ramires entrou livre na área para marcar: 3 a 2 Cruzeiro.
O Flamengo continuou lutando e teve a chance de empatar aos 42 minutos. Diego Tardelli driblou dois zagueiros e chutou no canto direito. Fábio se esticou todo e fez grande defesa. Três minutos depois, Diego Tardelli invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Leo Fortunato. Pênalti claro ignorado por Carlos Eugênio Simon. O atacante ainda foi expulso após reclamar com o árbitro. O capitão Fábio Luciano também foi expulso após a partida.

FICHA TÉCNICA:
CRUZEIRO 3 X 2 FLAMENGO
Local: Mineirão, Belo Horizonte (BH)
Data/Hora: 23/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Erich Bandeira (PE)
Renda/Público: R$ 516.976,50 / 50.789 pagantes
Cartões amarelos: Ibson, Toró (Fla)
Cartões vermelhos: Diego Tardelli (46'/2ºT) e Fábio Luciano (após o fim do jogo)

GOLS: Fernandinho, 32'/1ºT (1-0); Ibson, 10'/2ºT (1-1); Thiago Ribeiro, 20'/2ºT (2-1); Obina, 25'/2ºT (2-2); Ramires, 40'/2ºT (3-2)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Elicarlos, 27' 2ºT), Léo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Gerson Magrão (Wanderley, 30'2ºT); Jajá (Fabrício, 16' 2ºT) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton (Toró, 17' 1ºT), Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho, 32' 2ºT); Marcelinho Paraíba (Diego Tardelli, 20' 2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Montagem que o funcionário Claudecir Silva fez para motivar os jogadores do Flamengo


Foi esta a montagem que o funcionário do departamento de futebol Claudecir Silva fez para motivar os jogadores do Flamengo. Normalmente, os atletas pedem para que ele faça desenhos "debochando" dos outros: "Eles brincam muito na roda de bobinho e pedem, por exemplo, para eu colocar a bomba na mão do Ibson e pegam para zoá-lo. Mas resolvi fazer algo para mostrar que também posso incentivá-los e o Paulo (Ribeiro, psicólogo) gostou", conta Claudecir. Fábio Luciano pegou o banner e levou para casa. Os outros jogadores também encomendaram a imagem.

OS 300 DA GÁVEA



Psicólogo usa banner do filme ‘300’ com fisionomias raivosas dos atletas para motivá-los antes do jogo contra o Palmeiras

domingo, 16 de novembro de 2008

Show de Ibson e Kleberson

Grande vitória colocou o Flamengo novamente no G-4 do Campeonato Brasileiro, com 63 pontos.

Diante de mais de 60 mil torcedores, o Flamengo deu show e goleou o Palmeiras por 5 a 2, neste domingo, no Maracanã. Ibson foi o grande destaque rubro-negro, com três gols marcados. Marcelinho Paraíba e Kleberson fizeram os outros gols. A vitória colocou o Fla na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, com 63 pontos. Faltando três jogos para o fim da competição, o sonho do hexacampeonato continua vivo.

O Flamengo começou o jogo a mil por hora e logo abriu o placar. Aos dois minutos, Kleberson fez bela jogada pela direita e cruzou na medida para Marcelinho Paraíba. O camisa 11 pegou de primeira e colocou no canto esquerdo de Marcos: 1 a 0 Flamengo.

A partida era disputada em alta velocidade e o Palmeiras chegou ao empate aos 12 minutos. Leonardo Gaciba marcou pênalti de Jailton em Kleber. Alex Mineiro bateu bem e deixou tudo igual no Maracanã: 1 a 1. O rubro-negro não sentiu o gol e continuou atacando a equipe de Vanderlei Luxemburgo. Kleberson, Ibson e Marcelinho Paraíba infernizavam a defesa paulista.

Aos 20 minutos, Fábio Luciano recebeu de Obina e tocou para Marcelinho Paraíba. O atacante cruzou para Ibson, que chutou com força dentro da área: 2 a 1 Flamengo. Depois do gol, a equipe de Caio Júnior passou a tocar mais a bola. Com Airton e Jailton muito bem na defesa, o rubro-negro não era muito ameaçado pelo ataque palmeirense. A última boa chance rubro-negra da primeira etapa foi com Jailton. Após escanteio, o camisa 14 desviou de calcanhar e quase surpreendeu Marcos.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Everton na vaga de Juan. O rubro-negro continuou melhor na partida e Obina teve duas boas chances de ampliar nos primeiros minutos. Aos 10, Kleberson fez grande jogada pelo meio e tocou para Ibson finalizar com categoria, sem chances para Marcos: 3 a 1 e festa da torcida nas arquibancadas. Cinco minutos depois, a zaga do Fla cochilou e o Palmeiras diminuiu. Martinez cruzou e Kleber marcou de cabeça: 3 a 2.

O rubro-negro manteve o ímpeto ofensivo e ampliou logo depois. Ibson, o nome do jogo, tabelou com Kleberson e marcou um golaço de letra: 4 a 2 Flamengo. Com a torcida do Flamengo fazendo um grande espetáculo nas arquibancadas, o Flamengo não diminuiu o ritmo e fez o quinto aos 24 minutos. Fábio Luciano recebeu de Ibson na grande área e cruzou na medida para Kleberson, perfeito em campo, fazer de cabeça: 5 a 2 Flamengo.

Depois do quinto gol o Flamengo tocou a bola e deixou o tempo passar. Nas arquibancadas, a torcida comemorava a volta ao G-4 do Campeonato Brasileiro. Na próxima rodada a equipe da Gávea enfrenta mais um adversário direto na luta pelas primeiras colocações. O rubro-negro encara o Cruzeiro, domingo, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 5 X 2 PALMEIRAS

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 16/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa - RS)
Renda/público: R$ 1.166.807,00 / 59.678 pag.
Cartões amarelos: Aírton, Obina (FLA); e Gustavo (PAL)

GOLS: Marcelinho Paraíba, 2'/1ºT (1-0); Alex Mineiro (pênalti), 12'/1ºT (1-1); Ibson, 21'/1ºT (2-1); Ibson, 10'/2ºT (3-1); Kléber, 15'/2ºT (3-2); Ibson, 19'/2ºT (4-2); e Kleberson, 24'/2ºT (5-2).

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton, Ibson (Maxi, 37'/2ºT), Kleberson e Juan (Everton, intervalo); Marcelinho Paraíba (Toró, 18'/2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

PALMEIRAS: Marcos, Gustavo, Roque Júnior e Martinez (Sandro Silva, 23'/2ºT); Fabinho Capixaba (Evandro, 17'/2ºT), Jumar (Maicossuel, 11'/2ºT), Pierre, Diego Souza e Leandro; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

(fonte: FlaNet)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

domingo, 9 de novembro de 2008

Flamengo vence o Botafogo 1x0


Flamengo continua vivo na luta pelo título e pela vaga na Libertadores.
Mesmo jogando pouco ou quase nada, com um gol de penalti aos 40m do segundo tempo sofrido por Ibson e convertido por Kleberson, o Flamengo chega aos 60 pontos e fica a um ponto de Palmeiras e Cruzeiro, adversários diretos que enfrenta nas próximas rodadas.
FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 0 X 1 FLAMENGO
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Ediney Mascarenhas (RJ) e Wágner de Almeida Santos (RJ)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Carlos Alberto, Diguinho, Renan, Andre Luis (BOT); Aírton, Juan, Sambueza (FLA)
Cartão vermelho: Eduardo (BOT), 46'/2ºT)
GOLS: Kleberson, 38'/2ºT (0-1)
BOTAFOGO: Renan, Thiaguinho (Fábio, 27'/1ºT), Renato Silva, Andre Luis e Triguinho; Leandro Guerreiro (Lucas Silva, 41'/2ºT), Túlio, Diguinho (Eduardo, 44'/2ºT), Lucio Flavio e Carlos Alberto; Jorge Henrique. Técnico: Ney Franco.
FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Luizinho, Aírton, Ibson, Sambueza e Juan (Kleberson, 34'/2ºT); Marcelinho Paraíba (Fierro, 28'/2ºT) e Maxi (Josiel, intervalo). Técnico: Caio Júnior.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

domingo, 2 de novembro de 2008

Empate deixa o Fla fora do G-4

Rubro-negro ficou no 2 a 2 com a Portuguesa e chegou aos 57 pontos no Campeonato Brasileiro.
Em um jogo bastante disputado, o Flamengo perdeu a chance de chegar à liderança do Campeonato Brasileiro ao empatar em 2 a 2 com a Portuguesa, nesta tarde de sábado, no Maracanã. O empate manteve o Fla na quinta colocação, com 57 pontos. A torcida agora é contra os concorrentes diretos, Cruzeiro, Palmeiras, São Paulo e Grêmio.
Empurrado por mais de 45 mil torcedores, o Flamengo partiu para cima da Portuguesa nos primeiros minutos e chegou logo ao primeiro gol. Aos cinco minutos, após escanteio cobrado por Marcelinho Paraíba, Jailton fez linda jogada pela direita e cruzou na medida para Fábio Luciano acertar um lindo voleio: 1 a 0 Flamengo. Na comemoração, homenagem a filha Isabella, que nasceu no último domingo.
Mesmo com o gol o Flamengo não diminuiu o ritmo e quase ampliou aos sete, com Ronaldo Angelim, e aos oito minutos, com o capitão Fábio Luciano. A Portuguesa chegava com perigo nas jogadas armadas por Preto e Athirson.
Aos 35 minutos, Marcelinho Paraíba cobrou escanteio e quase fez olímpico. O time paulista respondeu três minutos depois. Após cruzamento de Athirson, Erick cabeceou com perigo. A equipe de Estevão Soares cresceu no fim e quase chegou ao empate com Athirson, mas o chute do lateral saiu por cima do gol de Bruno.
O Flamengo voltou para a segunda etapa com Fierro na vaga de Kleberson. Logo no inicio da segunda etapa a Portuguesa assustou com chutes de Raí e Erick. Aos seis minutos a equipe paulista chegou ao empate. Jonas recebeu na grande área e bateu no canto de Bruno: 1 a 1 no Maracanã.
Aos 13 minutos, Fábio Luciano aproveitou rebatida da defesa da Portuguesa e quase fez o seu segundo gol. Logo depois, Erick recebeu sozinho na direita e cruzou para Athirson marcar de cabeça: 2 a 1. Com o Fla atrás no placar, Caio Júnior mexeu e colocou Everton e Maxi nas vagas de Marcelinho e Jailton. As mudanças melhoraram a equipe e o Fla teve boas chances de empatar com Maxi, Ibson e Juan.
A pressão rubro-negra deu resultado aos 38 minutos. Everton cruzou da esquerda e Maxi cabeceou para empatar a partida: 2 a 2. Na comemoração do gol, Obina e Patrício foram expulsos. O rubro-negro continuou lutando, mas o resultado não saiu de um empate.
O próximo adversário do Flamengo no Campeonato Brasileiro é domingo, contra o Botafogo, no Maracanã.
FLAMENGO 2 X 2 PORTUGUESA
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 1/11/2008 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Aparecido Donizetti Santana (PR) e José Carlos dias Passos (PR)
Renda/público: R$ 691.387,00 / 41.332 pag.
Cartões amarelos: Everton, Maxi(FLA); e Bruno Rodrigo (POR)
Cartões vermelhos: Obina (FLA), 39'/2ºT; Patrício (POR), 39'/2ºT
GOLS: Fábio Luciano, 5'/1ºT (1-0); Jonas, 9'/2ºT (1-1); Athirson, 13'/2ºT (1-2); Maxi, 38'/2ºT (2-2).
FLAMENGO: Bruno, Jaílton (Maxi, 23'/2ºT), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson, Kleberson (Fierro, intervalo) e Juan; Marcelinho Paraíba (Everton, 17'/2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.
PORTUGUESA: Gottardi, Bruno Rodrigo, Erick e Ediglê (Hallison, 26'/1ºT); Patrício, Gavillán, Rai, Preto (Dias, 36'2ºT) e Athirson; Jonas (Héverton, 29'/2ºT) e Edno. Técnico: Estevam Soares.
(fonte agenciafla)

sábado, 1 de novembro de 2008

Caio: “Temos a obrigação de vencer esses três jogos”


Caio Júnior está de olho nos próximos jogos
Treinador acredita que as próximas partidas no Maracanã serão decisivas para o futuro do rubro-negro no Brasileirão.
Depois do treinamento técnico, hoje à tarde, na Gávea, o treinador Caio Júnior lembrou a importância dos próximos três jogos do Flamengo no Maracanã, contra Portuguesa, Botafogo e Palmeiras. Para o comandante, três triunfos colocariam o Fla muito perto do hexa.
-“Temos a obrigação de vencer esses três próximos jogos no Maracanã. Se vencermos, a possibilidade de título fica muito grande. É trabalhar forte, manter a concentração e respeitar os adversários. Continuamos na briga e a torcida tem que acreditar. O nosso foco agora é se recuperar da viagem e vencer a Portuguesa. Depois vamos secar os adversários”.
Caio Júnior garante que o Flamengo já está acostumado aos confrontos contra as equipes que estão lutando contra o rebaixamento.
-“É o tipo de jogo que o Flamengo já está acostumado. Já enfrentamos equipes que estão lá em baixo da tabela e todos achavam que ia ser fácil, mas acabou sendo difícil, como foi contra o Ipatinga e Sport. O Flamengo já passou por isso e pode ser bom. Um gol no início pode facilitar o nosso trabalho”.
Caio Júnior afirma que a Portuguesa é uma equipe que está em ascensão nessa reta final de campeonato.
-“A Portuguesa estava nas últimas posições, mas conseguiu se recuperar e vem crescendo nessa reta final. Já conseguiu se afastar um pouco da zona de rebaixamento. O ponto forte da equipe do Estevão Soares é o conjunto”.
(fonte agenciafla)

Flamengo e Vitória ficam no 0 a 0

Flamengo e Vitória fizeram um jogo disputado
Rubro-negro chegou aos 56 pontos no Campeonato Brasileiro e diminuiu a diferença para o líder Grêmio.
Em um jogo bastante corrido e disputado, Flamengo e Vitória ficaram em um empate sem gols nesta noite de quarta-feira, no Barradão. O rubro-negro carioca chegou aos 56 pontos no Campeonato Brasileiro. Com o ponto conquistado, o Fla diminuiu para três a diferença para o líder Grêmio, que perdeu por 3 a 0 para o Cruzeiro.
A partida começou com as duas equipes se lançando ao ataque. A primeira boa chance do Fla foi com Obina, mas o goleiro Viáfara cortou para o Vitória. Logo aos cinco minutos, a falta de energia obrigou o árbitro Sálvio Espinola a paralisar a partida por 25 minutos. Na volta, quem assustou foi a equipe baiana. Marquinhos arriscou de fora da área e assustou Bruno. O Flamengo respondeu logo depois. Após cruzamento de Marcelinho Paraíba, Vanderson quase marcou contra.
Aos 39 minutos, Juan fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Obina, que quase abriu o placar no Barradão. Sete minutos depois, Toró invadiu a área pela direita, mas demorou para chutar, dando a oportunidade para a zaga do Vitória cortar para escanteio. Aos 50 minutos, Jackson chutou da entrada da área e Bruno fez grande defesa. Aos 55 minutos, Léo Moura recebeu de Kleberson e chutou com perigo, na última boa chance do Fla na primeira etapa.
O Vitória voltou melhor para o segundo tempo e construiu boas chances no início. Aos quatro minutos, Rodrigão cabeceou com perigo, por cima do gol de Bruno. Aos oito, Marquinhos recebeu na esquerda e chutou com força, rente à trave. Aos 15 minutos o Flamengo desperdiçou grande chance. Marcelinho Paraíba levantou na área e Obina perdeu na frente de Viàfara. Logo depois, Caio Júnior sacou Marcelinho e escalou o argentino Maxi.
Aos 19 minutos, após boa jogada de Maxi e Ibson, Léo Moura chutou por cima a melhor chance do Flamengo no jogo. Aos 23 minutos, Marcelo Cordeiro chutou cruzado, levando bastante perigo. Caio Júnior mexeu novamente na equipe, colocando Fierro na vaga de Ibson. Aos 31 minutos, o chileno recebeu de Léo Moura e quase abriu o marcador, mas Viáfara estava atento e salvou a equipe de Salvador. No lance seguinte, Ronaldo Angelim subiu mais que a zaga do Vitória e cabeceou rente à trave direita.
Na próxima rodada o Flamengo enfrenta a Portuguesa, sábado, no Maracanã.
FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 0 X 0 FLAMENGO
Local: Barradão, Salvador (BA)
Data/Hora: 28/10/2008 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Marcelino Tomaz Neto (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Renda/Público: R$ 573.300,00 / 35.000 pagantes
Cartões amarelos: Willians, Jackson, Leonardo Silva, Marco Aurélio (VIT); Kleberson, Obina (FLA)
VITÓRIA: Viáfara, Marco Aurélio, Leonardo Silva, Thiago Gomes e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Renan, Willians (Ricardinho, 34'/2ºT) e Jackson (Ramon, 16'/2ºT); Marquinhos e Rodrigão (Robert, 35'/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.
FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson (Fierro, 30'/2ºT), Kleberson e Juan; Marcelinho Paraíba (Maxi, 16'/2ºT) e Obina (Vandinho, 39'/2ºT). Técnico: Caio Júnior.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

terça-feira, 28 de outubro de 2008

domingo, 26 de outubro de 2008

Festa rubro-negra no Maracanã: Flamengo 5 a 0



Obina e Léo Moura comemoram um dos gols

Léo Moura, Obina, Ibson, Maxi e o goleiro Bruno marcaram os gols que colocaram o Fla novamente no G-4.

Em uma noite inspirada de Obina, o Flamengo jogou bem e goleou o Coritiba por 5 a 0 nesta noite de quinta-feira, no Maracanã. Léo Moura, Obina, Ibson, Maxi e o goleiro Bruno fizeram os gols da vitória. O resultado colocou o rubro-negro novamente no G-4 do Campeonato Brasileiro, com 55 pontos. O líder Grêmio também venceu e manteve os quatro pontos de diferença.

Em campo, o Flamengo não deu chances para o Coritiba desde o início da partida. Aos nove minutos, Luizinho cruzou da esquerda e Obina cabeceou com estilo no travessão. Onze minutos depois, Obina foi derrubado por João Henrique na área. Pênalti marcado pelo árbitro Carlos Eugênio Simon. O aniversariante do dia, Léo Moura, bateu, Vanderlei defendeu, e no rebote, o lateral abriu o placar: 1 a 0 Flamengo.

Bem fechado na defesa, com Airton, Jailton e Ronaldo Angelim, o Coritiba não chegava com perigo ao gol defendido por Bruno. Aos 30 minutos, Obina chutou de fora da área e quase surpreendeu Vanderlei. Logo depois, Ibson recebeu de Marcelinho Paraíba, invadiu a área, mas chutou mal, rente à trave esquerda. Aos 35 minutos, Kleberson puxou contra-ataque pela direita e tocou para Obina completar para o gol: 2 a 0 Flamengo.

No segundo tempo, o Flamengo passou a tocar mais a bola e explorar os avanços do time curitibano. Léo Moura era sempre uma boa saída pelo lado direito. Caio Júnior fez a primeira modificação na equipe, sacando Luizinho e escalando Fernando. Aos 26 minutos, Keirrison entrou na área e chutou rasteiro, assustando Bruno. O rubro-negro respondeu logo depois, com Ibson arriscando da entrada da área.

Caio Júnior fez mais duas alterações, colocando Maxi e Fierro e sacando Marcelinho Paraíba e Kleberson. Aos 32 minutos, o chileno Fierro deu lindo passe para Ibson, que chutou com força para marcar o terceiro: 3 a 0 Flamengo. A torcida rubro-negra ainda comemorava quando Maxi fez mais um. Obina fez grande jogada pela esquerda, driblou dois zagueiros e rolou para o argentino completar na segunda trave: 4 a 0 Flamengo. No fim, Ibson sofreu mais um pênalti. A torcida pediu e o goleiro Bruno foi para a cobrança. O camisa 1 mostrou categoria e fechou a goleada com estilo: 5 a 0 Flamengo. Foi o segundo gol de Bruno na carreira.

O próximo desafio do Flamengo no Campeonato Brasileiro será na quarta-feira, contra o Vitória, em Salvador.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 5 X 0 CORITIBA

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 23/10/2008 - 20h30min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e José Javel Silveira (RS)
Renda/público: R$ 511.963,00 / 28.648 pagantes
Cartões amarelos: João Henrique e Rodrigo Mancha (CTB)
Cartões vermelhos: Não houve

GOLS: Léo Moura, 20'/1ºT (1-0); Obina, 35'/1ºT (2-0); Ibson, 32'/2ºT (3-0); Maxi, 34'/2ºT (4-0); Bruno, 47'/2ºT (5-0)

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Aírton, Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró , Ibson, Kleberson (Fierro, 28'2ºT) e Luizinho (Fernando, 15'2ºT); Marcelinho Paraíba (Maxi, 22'2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

CORITIBA: Vanderlei, Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Marcos Tamandaré (Marlos, intervalo), Alê, Leandro Donizete (Tiago Silvy, intervalo), Carlinhos Paraíba (Jaílson, 18'2ºT), e Ricardinho; João Henrique e Keirrison. Técnico Dorival Júnior.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Fla vence o Vasco por 1 a 0 e encosta nos líderes

Rubro-negro está na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, com 52 pontos, quatro a menos que o líder Grêmio.
Fla vence o Vasco por 1 a 0 e encosta nos líderes
Em um clássico de poucas oportunidades, o Flamengo mostrou disposição e venceu o Vasco por 1 a 0, neste domingo, no Maracanã. Com a vitória e os resultados da rodada, o rubro-negro se manteve na quinta colocação e encostou ainda mais nos líderes da competição. Faltando oito jogos para o término do Campeonato Brasileiro, o Flamengo está com 52 pontos, quatro a menos que líder Grêmio. O sonho do hexa continua vivo.
O jogo começou com o Vasco assustando. Logo no início, Alan Kardec sofreu falta na entrada da área. Madson cobrou na barreira e a zaga aliviou. A primeira boa chance rubro-negra foi na bola parada. Marcelinho Paraíba cobrou falta da esquerda e Obina quase fez de cabeça. Aos 13 minutos, Madson recebeu de Alex Teixeira, chutou rasteiro e Bruno defendeu.
Aos 20 minutos, Alex Teixeira chutou de fora da área e Bruno defendeu com segurança. Dois minutos depois, Mateus cobrou falta com força e Bruno salvou mais uma. O Flamengo respondeu aos 32 minutos. Marcelinho Paraíba experimentou de longe e assustou Rafael.
Aos 43 minutos, Obina recebeu lançamento, brigou com a zaga vascaína, e na confusão, Jorge Luiz fez contra: 1 a 0 Flamengo. O primeiro tempo acabou com festa rubro-negra nas arquibancadas.
O segundo tempo começou sem muitas oportunidades paras as duas equipes. O Flamengo estava bem postado na defesa, mas encontrava dificuldades para criar as jogadas. Aos cinco minutos, Alan Kardec tentou de cabeça, mas não assustou Bruno. Aos 16, Caio Júnior trocou Fierro por Everton.
Aos 19 minutos, Fábio Luciano recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, deixando o Flamengo com um a menos. Caio Júnior mexeu na equipe, sacando Marcelinho Paraíba e escalando Dininho. Seis minutos depois, Pedrinho cobrou falta, Fernando cabeceou e Bruno fez linda defesa.
Com a zaga rubro-negra bem fechada, o Flamengo segurou o ataque do Vasco e garantiu mais três pontos no Campeonato Brasileiro. O próximo desafio da equipe da Gávea na competição é na quinta-feira, contra o Coritiba, no Maracanã.
FICHA TÉCNICA:
VASCO 0 X 1 FLAMENGO
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 19/10/2008 - 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Renda/público: R$ 679.117,00 / 37.074 pagantes.
Cartões amarelos: Jorge Luiz, Mateus, Wagner Diniz (VAS); Fábio Luciano e Juan (FLA)
Cartão vermelho: Fábio Luciano (FLA), 19'/2ºT.
GOL: Jorge Luiz (contra), 43'/1ºT (0-1);
VASCO: Rafael, Fernando, Jorge Luiz e Eduardo Luiz (Pinilla, 29'/2ºT); Baiano (Wagner Diniz, 15'/2ºT), Jonílson, Mateus (Pedrinho, 19'/2ºT), Madson, Alex Teixeira e Valmir; Alan Kardec. Técnico: Renato Gaúcho.
FLAMENGO: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson, Everton (Fierro, 19'/2ºT) e Juan; Marcelinho Paraíba (Dininho, 22'/2ºT) e Obina (Josiel, 48'/2ºT). Técnico Caio Júnior.

domingo, 12 de outubro de 2008

Atlético-MG surpreende o Fla no Maracanã: 3 a 0


Rubro-negro caiu para a quinta colocação no Campeonato Brasileiro, com 49 pontos.

O Flamengo perdeu por 3 a 0 para o Atlético-MG, neste sábado, no Maracanã. O resultado colocou o rubro-negro na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, com 49 pontos. O próximo compromisso da equipe da Gávea na competição é no domingo, dia 19, contra o Vasco, no Maracanã.

Desde o inicio da partida o Flamengo encontrava dificuldades para furar a defesa do Atlético-MG. Marcando a saída de bola do rubro-negro, a equipe mineira dificultava o trabalho de Ibson, Kleberson, Léo Moura e Sambueza. As primeiras oportunidades vieram através de cobranças de falta, com Marcelinho Paraíba.

Sempre explorando os contra-ataques, a equipe do Atlético-MG chegou com perigo aos 25 minutos. Castillo cruzou, Pedro Paulo chutou e Bruno salvou o rubro-negro. Aos 27, Leonardo Moura avançou pela direita e cruzou para Marcelinho Paraíba cabecear no travessão de Juninho.

Aos 32 minutos, Castillo aproveitou rebatida da defesa rubro-negra e chutou com força da entrada da área, sem chances para Bruno: 1 a 0 Atlético-MG. Com o Flamengo sem poder de criação, Caio Júnior modificou a equipe, colocando Erick Flores na vaga de Kleberson. O time rubro-negro cresceu, e Vandinho quase empatou aos 40 minutos, mas Juninho defendeu.

O segundo tempo começou com o rubro-negro pressionando. Logo no primeiro minuto, Marcelinho Paraíba cobrou falta com perigo, assustando o goleiro mineiro. O Atlético-MG respondeu três minutos depois. Pedro Paulo invadiu a área, chutou no canto e Bruno defendeu.

Aos 10 minutos, Vandinho rolou para Ibson, que chutou fraco, facilitando a vida de Juninho. Logo depois Caio Júnior mexeu na equipe, sacando Ibson e escalando Maxi. Aos 19 minutos, Renan Oliveira recebeu de Castillo, invadiu a área, e só teve o trabalho de escolher o canto: 2 a 0 Atlético-MG.

Caio Júnior mexeu novamente na equipe, escalando Obina na vaga de Vandinho. Aos 29 minutos, Márcio Araújo chutou cruzado Bruno soltou a bola, e Leandro Almeida fez mais um: 3 a 0 Atlético-MG. O Flamengo ainda tentou diminuir com Obina, mas o resultado já estava definido.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 0 X 3 ATLÉTICO-MG

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 11/10/08 - 18h20
Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)
Renda/público: R$ 1.545,250 / 77.387 pagantes
Cartões Amarelos: Sambueza e Jaílton (FLA); Pedro Paulo, Rafael Miranda e Juninho (ATL)
GOLS: Castillo, 31'/1ºT (0-1); Renan Oliveira, 20'/2ºT (0-2); Leandro Almeida, 29'/2ºT (0-3)

FLAMENGO: Bruno, Léo Moura, Dininho, Ronaldo Angelim e Sambueza; Jailton, Toró, Kleberson (Eric Flores, 37'/1ºT) e Ibson (Maxi Biancucchi, 16'/2ºT)); Marcelinho Paraíba e Vandinho (Obina, 25'/2ºT). Técnico: Caio Júnior.

ATLÉTICO-MG: Juninho, Sheslon, Marcos, Leandro Almeida e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Elton (Rafael Miranda, 14'/2ºT) e Pedro Paulo (Tchô, 31'/2ºT); Renan Oliveira (Petkovic, 34'/2ºT) e Castillo. Técnico: Marcelo Oliveira.
(AgênciFla)

'Eles ficaram envergonhados, como eu'


Vaiado pelo torcedor pela segunda vez consecutiva no Maracanã, Caio Júnior fez o papel de advogado dos próprios críticos após a derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG, neste sábado, pela 29ª rodada do Brasileirão. O treinador se colocou no lugar da galera e disse que também está envergonhado com o que aconteceu em campo, além de dizer que, independentemente dos protestos, estará sempre do lado da torcida.
- A torcida ficou envergonhada, como eu fiquei. Temos que assimilar. Futebol é assim, não é como a gente quer. Já temos que pensar no Vasco. Acho normal qualquer atitude do torcedor. Vou sempre ser defensor, porque eles enfrentam dificuldade para vir ao estádio e podem reclamar.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Flamengo bate o Náutico e se mantém na briga


Marcelinho Paraíba marcou um dos gols do Fla
Rubro-negro venceu por 2 a 0, gols de Marcelinho Paraíba e Léo Moura. Fla manteve a quarta colocação no Campeonato Brasileiro.
Jogando no Estádio dos Aflitos, em Recife, o Flamengo não tomou conhecimento do Náutico e venceu por 2 a 0, neste sábado, em jogo válido pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória manteve o rubro-negro na quarta colocação do Brasileirão, com 49 pontos, e vivo na luta pelo hexacampeonato.
No primeiro tempo o Flamengo pressionou e criou as melhores chances. Logo aos dois minutos, Marcelinho Paraíba cobrou falta e Eduardo espalmou para escanteio. Aos 16 minutos, Vandinho recebeu de Marcelinho e foi derrubado por Eduardo dentro da área. Pênalti marcado por Sálvio Spinola. Marcelinho cobrou bem e colocou o rubro-negro na frente: 1 a 0 em Recife.
Seis minutos depois, a zaga do Náutico falhou e Vandinho quase aproveitou para ampliar. Com a equipe da Gávea bem armada na defesa, com Toró fazendo grande partida, a equipe pernambucana tinha dificuldades para penetrar na zaga rubro-negra.
Aos 40 minutos, Vandinho ganhou a disputa com Hamilton na grande área, chutou forte, mas Eduardo salvou a equipe do Náutico. O primeiro tempo acabou 1 a 0 para o rubro-negro carioca.
Na segunda etapa, o Flamengo diminuiu o ritmo e o Náutico cresceu no jogo. Aos 10 minutos, Felipe recebeu de Adriano e chutou com perigo, rente à trave de Bruno. A equipe pernambucana chegou novamente com perigo dez minutos depois. Derley experimentou da entrada da área e assustou Bruno.
Caio Júnior mexeu na equipe, sacando Toró e Marcelinho Paraíba e escalando Airton e Obina. Aos 25 minutos, Clodoaldo teve a chance na pequena área, mas Bruno estava ligado e defendeu mais uma.
Em um contra-ataque, aos 30 minutos, Vandinho invadiu a área e chutou por cima do gol de Eduardo. Onze minutos depois o Flamengo decidiu a partida. Léo Moura experimentou de fora da área e fez um golaço, no ângulo direito de Eduardo: 2 a 0 Flamengo.
Aos 46 minutos, Felipe teve a chance de diminuir de pênalti, mas a cobrança saiu rente à trave esquerda de Bruno. A festa rubro-negra em Recife estava garantida.
Na próxima rodada o Flamengo recebe o Atlético-MG, sábado, no Maracanã, contando com a presença da nação rubro-negra.

NÁUTICO 0 X 2 FLAMENGO

Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 04/10/2008 - 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes (Fifa-SP)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN)

Renda/público: R$ 130.345,00 / 18.001 pagantes
Cartões amarelos: Eduardo, Valdeir, Clodoaldo, Vagner (NAU), Juan, Bruno, Vandinho e Fábio Luciano (FLA)
GOLS: Marcelinho Paraíba, 16'/1ºT (0-1) e Leonardo Moura, 41'/2ºT (0-2)

NÁUTICO: Eduardo, Ruy, Vágner, Everaldo e Alessandro; Hamilton, Paulo Santos (William, 15'/2ºT), Adriano e Valdeir (Derley, intervalo); Clodoaldo e Kuki (Felipe, intervalo). Técnico: Roberto Fernandes.

FLAMENGO: Bruno, Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan, Jaílton, Toró (Aírton, 24'/2ºT), Kleberson (Fierro, 33'/2ºT) e Ibson; Marcelinho Paraíba (Obina, 22'/2ºT) e Vandinho. Técnico: Caio Júnior.

(fonte:FlaNet)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

PAPO DE TORCEDOR - FLA 2X1 Sport

Realmente milagres acontecem!!!! De parabéns Juan, Vandinho, Paraíba, Jailton (que a duas partidas vem jogando muito bem!!) e principalmente Angelin. O Bruno, meu Deus!! Eu não aguento mais o Bruno!!! Vai ser frangueiro assim na casa do chapéu. No mais, Ibson, Leonardo Moura e Sambueza errando muitos passes, Kleberson omisso!!! Caio Jr, não inventa!!!! Imita o tio Joel!!! Libera os dois laterais ao mesmo tempo. Faz assim: Bruno, Angelin, Jailton e o Capitão, Toró, Ibson e Kleberson, Paraíba na ligação, Vandinho e Obina ou Josiel na frente. Pronto. Chega de um monte de meia que não arma nada!!! Mais vale os dois laterais livres e a força de vontade do Toró!!! E no mais, aquele abraço!!

PAPO DE TORCEDOR - FLA 1X0 Ipatinga

Assisti o jogo do Mengão com o Ipatinga imediatamente antes do jogo contra o Sport. Quatro horas de Mengão!! Eu acho sinceramente que jogou muito bem contra o Ipatinga, o que faltou foi o Ibson ter guardado a dele, quando sozinho no início do 2o tempo jogou a bola pra fora. Era o Kleberson ter marcado o dele, que o goleiro fez uma bela defesa, assim como no chute do Paraíba. No mais, só vi cronista xingando o Fla, e quando vi o jogo juro que não entendi... A torcida vaiou ao fim do jogo... vaiou por que, por que vaiou, não sei!!! Jogou bem, mas a bola não entrou!!!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

OS JORNAIS DO DIA SEGUINTE

O GLOBO

A hora e a vez de Vandinho no Fla
Atacante brilha contra o Sport e ganha a camisa titular de Caio Júnior
Marcos Penido
O Flamengo entrará de cara nova contra o Náutico, sábado, nos Aflitos, em Recife. Com um passe e um gol que mudaram o destino do time na vitória sobre o Sport por 2 a 1, sábado, no Maracanã, Vandinho ganhou a posição de titular, e um elogio do técnico Caio Júnior.
- Ele entrou sob pressão na partida contra o Sport e correspondeu plenamente. Assim é que se aproveita uma oportunidade - disse o treinador rubro-negro.
O paranaense Vanderson da Silva Souza, o Vandinho, de 22 anos, não é propriamente um desconhecido de Caio Júnior. O técnico dirigiu o jogador em 2005 no Paraná e recomendou a sua contratação.
Caio: "Todo técnico é um burro em potencial"
Assim que chegou, Vandinho marcou um gol logo na estréia, contra o Cruzeiro. O time perdeu por 2 a 1, mas o jogador deu esperanças ao torcedor rubro-negro. Caio Júnior foi dando oportunidades aos poucos ao atacante. Vandinho fez a sua parte, mas acabou sofrendo uma contusão. Agora, sente-se recuperado.
- O grupo é forte, me sinto bem, e acho que temos chances de disputar o título brasileiro, mas precisamos manter a mesma dedicação em campo.
Chamado de burro por ter substituído Ibson por Vandinho, Caio Júnior levou a crítica na esportiva.
- Todo técnico é um burro em potencial ou será um dia. Precisava mexer e deu certo. O importante é o espírito de luta e a persistência que o time mostrou. Quanto ao Ibson, que saiu meio emburrado, eu vou conversar com ele.
O argentino Sambueza é outro que pode ganhar uma oportunidade no meio de campo nos próximos jogos.
- Vou estudar com calma. O gramado dos Aflitos não é bom, mas ele tem mostrado que nos pode ser muito útil - concluiu Caio Júnior.
Fernando Calazans

A vitória do Flamengo - "a la Flamengo" mesmo, diga-se logo - apagou muito do que se viu em campo, a ponto de ninguém ou pouca gente ter observado que o Sport veio ao Maracanã para dar pontapé e fazer falta, marca antiga dos times de Nelson Baptista, técnico respeitado pela chamada crítica especializada, por incrível que pareça.
Em 17 minutos de jogo, o Sport já havia cometido 10 faltas (mais de uma por minuto); no fim do primeiro tempo, tinha cometido 17; e, no fim do jogo, 35. Isso aí: 35. O Flamengo fez 15.
Na entrevista coletiva, depois do jogo, um repórter mais esclarecido perguntou a Caio Júnior sobre o que chamou, com absoluta precisão, de rodízio de faltas do Sport, e o técnico respondeu com um dos (muitos) disparates que proferiu naquela oportunidade e que pode ser analisado amanhã. Outro desses disparates - muito bem corrigido por Paulo César Vasconcellos, logo em seguida, na TV - foi de fazer parecer (aos trouxas, naturalmente) que o Flamengo tinha realizado uma grande exibição. Só ele viu isso.
Foi uma típica vitória rubro-negra, com a persistência rubro-negra, a bravura rubro-negra e, sobretudo, com a dramaticidade rubro-negra. Um grande resultado, sim, mas que começou a ser grande justamente por causa da incrível dificuldade do time para furar o bloqueio das faltas do Sport. Quem tem senso crítico e ouviu Caio Júnior dizer que o Flamengo criara muitas oportunidades, sabe que isso não é verdade.
O tempo passa, passa, passa; passam os anos; passam os campeonatos; os técnicos passam - e o Flamengo só tem jogadas pelas pontas, com Leonardo Moura e Juan. Perguntem quem fez o primeiro gol do Flamengo, que abriu caminho para a virada. Foi Juan, chegando na porta do gol e recebendo um passe primoroso de Vandinho, autor do gol da vitória em seguida. Além de Vandinho, ali pelo meio, jogou bola o Marcelinho Paraíba - e mais ninguém. O Flamengo não tem jogadas pelo meio.
Juan e Leonardo Moura que tratem de criar as jogadas, os gols e as vitórias do Flamengo, dramáticas como essa de sábado.

JORNAL DOS SPORTS
Um gol pra lá de salvador
Caio Júnior foi chamado de burro, mas Vandinho entrou e garantiu os três pontos do Flamengo
Eduardo Lacombe e Rafael Ruivo
Rio de Janeiro - A torcida do Flamengo vaiava o técnico Caio Junior, que foi chamado de burro ao promover a substituição de Ibson por Vandinho. O time estava perdendo de 1 a 0 e ele saiu de campo como no jogo anterior: Poucas palavras e com cara de poucos amigos, indo direto para o vestiário.
"Nós temos de parar com aquele costume que o jogador titular é absoluto. Se for preciso, eu vou fazer as substituições necessárias. Quando eu fui para Portugal, vi que isso não existe, até porque somos profissionais e a equipe é grande. Nós trabalhamos em conjunto, e não no individual. Se tiver de substituir, tirar alguém para melhorar o rendimento da equipe, eu tiro", diz Caio Júnior, após o jogo, visivelmente irritado.
Mas ele, em seguida, passou a viver o bom momento provocado por Vandinho, que o fez ir de burro a gênio, com o gol que valeu os três pontos valiosos para a equipe.
E já no vestiário, o treinador não se mostrava preocupado com a torcida.
"Todo treinador vai ser chamado de burro um dia, ou pelo menos vai ser vaiado. Eu tirei um volante (Ibson) e coloquei o Vandinho, que é um atacante, em uma hora dramática do jogo. Mas fiz a escolha certa e o Vandinho foi decisivo na partida. Eu não me importo com o que a torcida fala, até porque eu tenho de ser profissional nessas horas" afirma.
O herói da nação rubro-negra Vandinho passou o domingo em seu apartamento, na Barra da Tijuca, e lembrou dos momentos do jogo, que será eterno em sua memória.
"Na hora em que me chamaram, pensei: vou entrar, vou entrar. Imagina se eu faço outro gol aqui no Maracanã. Sei que a média de um gol por jogo é difícil de manter. Tive uma chance de marcar e consegui, e ainda dei o passe para o gol do Juan. Sabiamosque seria muito difícil continuar na briga pelo título com uma derrota em casa. Ainda bem que deu tudo certo", desabafa o herói rubro-negro.

O DIA
Mengão é Vandinho e mais 10
Rio - Caio Júnior antecipou que Vandinho será titular contra o Náutico, sábado, em Recife. A dúvida agora é se o técnico manterá Josiel no time — com Marcelinho Paraíba no meio-campo e Everton sendo barrado — ou se Paraíba formará dupla de ataque com o herói da vitória de 2 a 1, de virada, sobre o Sport, que manteve vivo o sonho da conquista do título. O Rubro-Negro é 4º colocado, com 46 pontos, e está a apenas quatro do líder Palmeiras.
Vandinho, que deu o passe para Juan marcar e depois fez o seu gol, arrancou lágrimas de amigos, disse nunca ter visto alguém parecido com seu ídolo Romário e mostrou que sabe como permanecer no time. “Atacante vive de gols. Vou ter uma chance, espero ir bem. Vou tentar superar o Marcinho, que tem sete gols”, prometeu o atacante, que balançou a rede duas vezes.

Depois da vitória que manteve o time na luta pelo título, Vandinho foi celebrado como herói. “Tive muito apoio da minha mãe e do meu irmão, que também é jogador e está no Paraná. Depois do jogo, meu empresário (Luiz Alberto) me ligou chorando. Nunca o tinha visto assim. E a nossa torcida é coisa de louco, quando se entra em campo ela faz com que você tente acertar tudo”, disse o atacante.
E Vandinho ainda amenizou a situação de Caio Júnior. Chamado de ‘burro’ ao tirar Íbson para colocar o atacante, o treinador viu sua opção dar certo.
“Todo treinador é burro em potencial para os torcedores. Tirei um volante e coloquei um atacante em um momento crucial. A alteração funcionou”, disse o treinador, que, normalmente contido, foi comemorar se jogando no montinho de jogadores juntos com Vandinho.
Sobre Josiel, que tem tido atuações apagadas, Caio aponta um dos problemas. “Nos Emirados Arábes, onde ele estava, os treinos não são tão intensos e tem menos jogos”, afirmou o técnico.
Íbson será enquadrado
Assim como acontecera contra o São Paulo, Íbson novamente saiu irritado ao ser substituído. Caio Júnior disse que não adianta reclamar e prometeu cobrar satisfação do jogador.

GAZETA ESPORTIVA
Técnico comemora vitória com a cara do Flamengo
Rio de Janeiro (RJ) - Foi sofrido, no sufoco, mas o Flamengo, empurrado por mais de 40 mil torcedores, conseguiu bater o Sport de virada por 2 a 1 no Maracanã, com gol aos 44 minutos do segundo tempo, e se manteve na briga pelo título nacional. Aliviado, o técnico Caio Júnior disse que a vitória teve a cara do clube rubro-negro.
“É um tipo de jogo que mexe com o torcedor. Foi um resultado muito importante para nossa seqüência, ainda mais da forma dramática como aconteceu, principalmente por causa do torcedor, que viu uma vitória com a cara do Flamengo”, afirmou o treinador. “Quem não veio hoje (sábado) com certeza vai querer vir no próximo jogo”, completou.
Para Caio Júnior, o Fla fez uma bela atuação ante os pernambucanos, mesmo no primeiro tempo, quando desceu para os vestiários vaiado pelos torcedores. “O Sport teve só duas ou três chances, enquanto nós tivemos várias, com posse de bola e penetração. Eles tiraram uma bola em cima da linha no primeiro e no segundo tempo”, lembrou.
Apesar de ter criado mais, o time rubro-negro saiu atrás no marcador no início da etapa final e quase acabou com a paciência dos torcedores, que chegaram a chamar Caio de burro. “Mexe com o time e principalmente com a torcida levar um gol logo no começo do segundo tempo, mas tivemos vibração, raça, inteligência e atitude para buscar a virada”, comemorou o técnico.
Caio se mostrou incomodado com a exigência para que o time mostre um futebol capaz de encher os olhos da massa rubro-negra. “Sempre existe esta cobrança no Flamengo por um futebol maravilhoso, mas nem a seleção brasileira e nem qualquer equipe deste Campeonato Brasileiro tem encantado”, argumentou.
Ibson reclama e gera nova polêmica no Flamengo
Rio de Janeiro (RJ) - Assim como na derrota para o São Paulo, Ibson reclamou ao ser substituído pelo técnico Caio Júnior na partida deste sábado, contra o Sport. O meia deu lugar ao atacante Vandinho, que acabaria sendo o nome do jogo, dando uma assistência e marcando um gol na vitória de virada do Flamengo por 2 a 1 sobre os pernambucanos.
Ibson saiu de campo com cara de poucos amigos e seguiu direto para os vestiários. Josiel, substituído um pouco antes, por exemplo, seguiu no banco de reservas até o fim do jogo e comemorou o triunfo heróico com os demais colegas. Caio Júnior evitou polemizar sobre o assunto, mas prometeu analisar a possível insatisfação do meia.
“Só no Brasil ainda se tem essa cultura de titular e reserva. Fiquei oito anos em Portugal e lá as coisas eram diferentes. O profissional tem que aceitar as decisões. Eu não vi nada, mas vou cobrá-lo se isso tiver acontecido. Já tivemos uma situação desta contra o São Paulo”, recordou o comandante rubro-negro, antes de decretar.
“O que tem que se dizer é que às vezes o jogador fala alguma coisa e se arrepende cinco minutos depois. No jogo com o São Paulo, por exemplo, o Ibson falou comigo logo em seguida. Mas o que tem que ficar bem claro é que eu sou o treinador e sempre vou tirar quem tiver que sair”, avisou Caio.
Na visão do treinador, aliás, a entrada decisiva de Vandinho provou mais uma vez a força do renovado elenco do Flamengo. “O São Paulo foi bicampeão brasileiro justamente por causa disso, saía um jogador e entrava outro do mesmo nível. Com certeza estas opções vão fazer diferença daqui para frente”, previu.
Além de Caio Júnior, os jogadores do Flamengo também evitaram se estender quando questionados sobre a atitude de Ibson. “Ele tem vontade de jogar, assim como todos que estão aqui. É querido por todos dentro do clube e também luta muito pelo Flamengo. Ele queria ajudar o time. Não levamos isso pelo mau caminho”, defendeu o capitão Fábio Luciano.

PELÉNET
Herói, Vandinho celebra os louros da vitória do Flamengo
Do UOL Esporte
No Rio de Janeiro
Vandinho viveu o seu dia de herói após o gol salvador que deu a vitória ao Flamengo, de virada, por 2 a 1, sobre o Sport, sábado, no Maracanã, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Novo titular do ataque rubro-negro, como declarou o próprio técnico Caio Júnior, o atacante agora celebra os louros da gloria.
"Depois da partida, fui jantar e muitos torcedores me parabenizaram. Quando se joga no Flamengo, se fica muito em evidência. Ainda mais tendo acabado de fazer um gol importante. As pessoas pedem para tirar foto e pegam autógrafo. Isso é muito gratificante", disse.
Rapaz de vida pacata e fá de videogame, Vandinho comentou um pouco sobre a sua adaptação no Rio de Janeiro. O atacante evidenciou a importância de uma série de jogadores do grupo rubro-negro.
"O Dininho e o Kleberson me ajudaram muito. Cheguei junto com o Eltinho (lateral-esquerdo) e temos uma boa amizade.Depois chegaram o Éverton e o Josiel, que eu já conhecia do Paraná, aí que eu fiquei em casa mesmo", encerrou.

GLOBOESPORTE
Tatuagem de Vandinho tem homenagem à família e até salmo
Atacante fez o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Sport aos 44 do segundo tempo, no domingo, e se tornou o herói da torcida rubro-negra
Fred Huber Rio de Janeiro
Em sua tatuagem, Vandinho homenageia sua avó, Maria, com a letra 'M', sua mãe Sônia, com a letra 'S'. O formato de 'V' é homenagem ao próprio nome. A tatuagem tem ainda um salmo: 'Senhor Deus meu, confio, salva-me de tudo que me persegue e livra-me'. Seria uma oração para se ver livre dos zagueiros?
Vandinho curte a fama de herói após fazer gol salvador para o Fla
Novo titular do ataque comenta sobre a pressão de defender o clube e conta sobre sua adaptação ao Rio de Janeiro e ao Rubro-Negro
Fred Huber Rio de Janeiro
Vandinho na varanda do seu apartamento no Rio
As coisas não estavam nada boas para o Flamengo dentro de campo. O placar era favorável ao Sport, e a torcida, que foi em grande número ao Maracanã, já vaiava o time vendo o sonho de continuar na briga pelo título ficar ainda mais longe. A entrada de Vandinho na equipe, no decorrer do segundo tempo, foi decisiva para a virada rubro-negra. O atacante deu o passe para Juan marcar, aos 37, e fez o gol da vitória aos 44 minutos. Delírio geral na arquibancada em dia de muita chuva no Rio de Janeiro.
A felicidade de Vandinho ficou ainda mais completa depois que o técnico Caio Júnior anunciou que o jogador é o novo titular do ataque do Flamengo. Neste domingo, ele curte o dia de herói da nação rubro-negra. O atacante recebeu a imprensa em seu apartamento, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e lembrou de alguns momentos deste que será um jogo difícil de ser esquecido por ele. Vandinho, fã do baixinho Romário, falou também sobre sua vida fora do campo, sua adaptação ao Rio e seu caminho até chegar ao Rubro-Negro.
Na hora que me chamaram, pensei: "Vou entrar, vou entrar. Imagina se eu faço outro gol aqui no Maracanã". Sei que esta média de um gol por jogo é difícil de manter. No domingo, tive uma chance de marcar e consegui, e ainda dei o passe para o gol do Juan. Sabemos que seria muito difícil continuar na briga pelo título com uma derrota em casa. Ainda bem que deu tudo certo no fim.
Pressão de ser titular da equipe
Atacante vive de gols, quem estiver melhor vai jogar. Já tinha entrado durante a partida em outros jogos e agora sei que vou ter uma chance de começar. Espero ir bem. Vou tentar superar a marca do Marcinho, que tem sete gols, mas sei que não é fácil.
Reconhecimento após o gol
Fui jantar depois do jogo e encontrei muitos torcedores. Você jogando no Flamengo, onde vai é conhecido, ainda mais tendo acabado de fazer um gol importante. As pessoas pedem para tirar foto, pegam autógrafo. Depois do jogo o meu empresário (Luiz Alberto) também me ligou, estava chorando. Nunca o tinha visto assim, e nos conhecemos desde que eu tinha 15 anos.
Adaptação ao Rio e ao Flamengo
Me sinto totalmente adaptado ao Rio e ao Flamengo. O grupo é muito bom e unido. Cheguei junto com o Eltinho e temos uma boa amizade. O Kleberson me ajudou muito também, assim como o Dininho. Depois chegaram o Éverton e o Josiel, que eu já conhecia do Paraná, aí que eu fiquei em casa mesmo.
Sensação de dever cumprido após a vitória
Apoio da família
Sempre tive muito apoio da minha mãe e do meu irmão. Ele também é jogador, é dois anos mais novo do que eu e está no Paraná. Torço para um dia jogar junto com ele.
Vida fora dos gramados
Sou muito tranqüilo, gosto de jogar videogame, ir ao shopping, assistir televisão.
Ídolo no futebol
Romário. Até por ser baixo e ser atacante de área. Nunca vi ninguém parecido.
Convivência com Ronaldo na Gávea
Não conversei com ele ainda, só cumprimento mesmo. Ele costuma chegar depois que termina o nosso treino. Mas parece ser bem tranqüilo.
Caminho no futebol até chegar ao Fla
Comecei no futebol de salão. Aos 13 anos fui para São Paulo, foi experiência importante, mas também muito difícil. Depois fui para o Paraná e acabei depois emprestado para o Vitória e para o São Paulo. Fiz muitos gols na base do São Paulo em 2005, 30 em 33 jogos, mas não tive oportunidade porque o ataque era muito bom, Amoroso e Luizão. Tive uma proposta do Guaratinguetá e lá tive uma boa experiência, conquistei título. Depois fui para o Avaí e me tornei artilheiro.

LANCE
Vandinho se surpreende com a Nação
Atacante entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória do Flamengo sobre o Sport
Vandinho marcou o segundo gol do Flamengo sobre o Sport LANCEPRESS!
O grande herói da virada do Flamengo sobre o Sport por 2 a 1, neste sábado, no Maracanã, fez questão de dividir o bom momento que a equipe passa com a torcedor rubro-negro. O atacante Vandinho entrou no segundo tempo e marcou o gol que deu os três pontos ao clube da Gávea. O jogador, que veio do Avaí, Florianópolis, disse ter ficado surpreso com o comportamento dos torcedores.
- A torcida supreendeu. Não tem tempo ruim, ela sabe que precisamos muito da ajuda e dependemos dela - disse o artilheiro.
Após a vitória, o atacante até se arriscou em projetar o público da próxima partida do Flamengo no Maracanã, contra o Atlético Mineiro, no dia 11 de outubro.
- Se vencermos o Náutico no estádio dos Aflitos, o Maracanã terá 70 mil pessoas contra o Atlético-MG - afirmou o jogador.
Vandinho, que marcou o seu segundo gol pelo time da Gávea, falou sobre a sensação de vestir a camisa rubro-negra.
- É uma coisa de louco, quando se entra em campo, a sensação é que você esquece de tudo, olha aquela torcida e tenta acertar o máximo possível - comentou o atacante.
Vandinho volta a mencionar sua família
Atacante fala sobre seu irmão que também é jogador de futebol
Vandinho posa para as fotos na varanda de sua casa, na Barra

LANCEPRESS!
Após a emocionante vitória do Flamengo sobre o Sport neste sábado, no Maracanã, o autor do gol que sacramentou o 2 a 1 no placar dedicou o gol a sua família. Neste domingo, Vandinho voltou a falar de seus familiares e destacou seu irmão, Bruno Henrique, zagueiro do Paraná Clube.
- Torço muito pelo meu irmão. Quem sabe, no futuro, não podemos nos enfrentar? Tomara que ele me dê mais trabalho, mas não vou jogar muito pelo lado dele - disse, brincando.
Ainda eufórico com a virada contra o Sport, Vandinho comentou sobre seu gol, aos 44 minutos do segundo tempo, quando a partida parecia caminhar para o empate.
- Meu gol foi muito importante, se perdessemos seria difícil buscar o título. Me sinto adaptado ao Flamengo, o grupo é bom e está unido em um foco: o título - afirmou o atacante que deve começar jogando na partida do próximo sábado, contra o Náutico, nos Aflitos.
Caio Júnior diz que todo treinador é um burro em potencial
Técnico rubro-negro mostra preocupação com o próximo jogo da equipe
Caio Júnior está preocupado com o próximo jogo do Flamengo (Crédito: Ricardo Cassiano)

LANCEPRESS!
O treinador Caio Júnior comentou, após a vitória de 2 a 1 do Flamengo sobre o Sport, o coro de "burro" que veio das arquibancadas quando substituiu Ibson por Vandinho. Para ele, todo técnico "merece" ouvir esse grito.

radio l! Caio Jr: 'Todo treinador é burro'
O comandante do time da Gávea ainda demonstrou preocupação com o próximo compromisso da equipe, contra o Náutico, no Aflitos.
- Será um jogo muito complicado, o campo do Náutico e o do Sport são os piores do Brasil - afirmou Caio.
Caio Jr. fala da importância de um bom elenco
Treinador lembra que o São Paulo foi bicampeão brasileiro graças ao elenco

LANCEPRESS!
Na partida de sábado, no Maracanã, Vandinho saiu do banco de reservas e foi o herói da virada contra o Sport. Deu o passe para Juan marcar o gol de empate, e aos 44, fez o gol da virada. Caio Júnior fez questão de comentar sobre a importância de ter um bom elenco, como foi na partida contra o Sport.
- Lembro que o São Paulo foi bicampeão brasileiro por isso. Entrava um e saia outro do mesmo nível. É uma coisa que demora a acontecer quando chegam vários jogadores ao memso tempo - disse.
O treinador comentou também sobre a próxima partida do Flamengo pelo Brasileirão. O Rubro-Negro enfrenta o Náutico, nos Aflitos. Segundo Caio Júnior, o gramado dos Aflitos é um dos piores do Brasil.
- O campo do Náutico e do Sport são os piores do Brasil - afirmou o treinador.
Kléberson exalta vitória na raça
Jogador reconhece que tecnicamente o time não esteve bem, mas a raça e a disposição do grupo compensaram

LANCEPRESS!
A vitória por 2 a 1 contra o Sport, assim como na partida contra o Ipatinga, não foi da forma que a torcida que compareceu ao Maracanã esperava mas, para o meia Kléberson, o importante foram os três pontos conquistados na raça.
- Tecnicamente o time do Flamengo não foi bem, mas na raça, na disposição, conseguimos a vitória que foi muito importante - disse.
O capitão Fábio Luciano também exaltou a luta do Flamengo na heróica vitória.
- A equipe lutou bastante. Está de parabéns - afirmou o zagueiro.
Fábio Luciano sai em defesa de Ibson
Capitão afirma que o volante luta muito pelo Flamengo, e atitude deve ser compreendida

LANCEPRESS!
Assim como na partida contra o São Paulo, Ibson demonstrou insatisfação ao ser substituído. Sobre a recorrente atitude do volante, Fábio Luciano afirma que Ibson é um atleta que luta pelo Flamengo, e tem seu apoio.
- Ele não faz isso por mal. A gente entende a reação dele, é um jogador querido por todo o grupo e muito importante para o Flamengo, temos que entender a reação de quem luta muito pelo Flamengo. Ele tem o nosso apoio - disse o zagueiro.

domingo, 28 de setembro de 2008

Com gol de Vandinho no fim, Fla bate o Sport de virada



Empurrado por mais de 40 mil torcedores, time carioca mostra raça após levar gol em falha de Bruno e vence pernambucanos no Maraca


Sob um forte temporal que castigou o Rio de Janeiro neste sábado, o Flamengo derrotou o Sport por 2 a 1 (assista aos gols) em uma virada espetacular, empurrado por mais de 40 mil torcedores. Curiosamente, assim como no primeiro turno do Brasileirão, na Ilha do Retiro, os cariocas venceram nos minutos finais. Desta vez, o herói foi o atacante Vandinho, que entrou no segundo tempo na vaga de Ibson. Mesmo com o resultado positivo, durante todo o jogo, o técnico Caio Júnior não foi poupado pelos torcedores, que o xingaram de burro, assim como os pedidos de "raça" durante grande parte da etapa final.

Com o resultado, o Rubro-Negro carioca permaneceu na quarta colocação, com 46 pontos. O Sport seguiu com 39 e ocupa o décimo lugar. Na próxima rodada, o Flamengo vai enfrentar o Náutico, no sábado, nos Aflitos. O Sport pega o Cruzeiro, na Ilha do Retiro, na quinta-feira.

Equilíbrio marca a etapa inicial de Fla e Sport
Ampliar Foto Ivo Gonzalez/O Globo Ivo Gonzalez/O Globo
Marcelinho Paraíba tenta passar por Durval

O primeiro tempo começou embaixo de muita chuva. Os dois times erravam muitos passes no meio-campo, mas o Flamengo tinha um domínio territorial da partida. O primeiro lance que causou um certo frisson no Maracanã foi contra os donos da casa. Aos cinco minutos, Fábio Luciano recuou a bola errada e o goleiro Bruno precisou driblar o atacante Roger, do Sport.

O Sport foi quem criou o primeiro lance de perigo. Aos 13 minutos, Dutra avançou pela esquerda e chutou de fora da área. A bola desviou em Fábio Luciano e enganou o goleiro Bruno, que caiu para a direita e torceu para o lance não acabar dentro de sua rede. O Flamengo respondeu com Marcelinho Paraíba três minutos depois. O atacante cobrou falta da intermediária e Magrão defendeu.

Aos 24, o Sport perdeu uma ótima oportunidade de abrir o placar. Andrade cobrou falta do meio-campo e a bola sobrou para Roger, livre, na marca do pênalti. O atacante desviou de primeira e o goleiro Bruno só observou o lance, já batido. O bandeirinha marcou impedimento na jogada.

O Flamengo respondeu no lance seguinte, aos 28. Em uma jogada polêmica, o árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro marcou falta fora da área, mas os jogadores do time rubro-negro reclamaram um pênalti. Na cobrança de Juan, a bola sobrou para Marcelinho Paraíba chutar. O goleiro Magrão, caído, salvou o Sport.

O Sport ainda teve outra oportunidade antes do término do primeiro tempo, aos 39 minutos. Enílton recebeu dentro da área, fez o pivô e rolou para Carlinhos Bala, que chutou forte. No meio do caminho, Roger, impedido, desviou e errou por pouco o gol de Bruno.

A paciência de Caio Júnior, do Flamengo, com o atacante Josiel acabou ainda no vestiário antes do retorno da equipe para a etapa final. O treinador optou por sacar o jogador e apostar na entrada de Obina. Logo aos dois minutos, Leo Moura cruzou na cabeça do Anjo Negro, que cabeceou para boa defesa de Magrão. No minuto seguinte, Marcelinho Paraíba aproveitou cruzamento de Juan e chutou. O zagueiro César tirou em cima da linha, salvando o Sport.

Os pernambucanos assustaram os cariocas em dois lances seguidos. Um aos quatro e o outro aos cinco. No primeiro, Roger dominou na entrada da área e chutou para grande defesa de Bruno. Na outra chance, o mesmo atacante dominou pelo lado direito da grande área e arriscou. A bola passou à esquerda do gol rubro-negro. Curiosamente, o goleiro Bruno voltou para a etapa final com uma camisa cinza em vez da amarela que utilizou no primeiro tempo.

E parece que a mudança deu azar. Aos nove minutos, o Sport abriu o marcador após uma falha bisonha do goleiro Bruno. O camisa 1 do Fla ficou no meio do caminho após cruzamento de Carlinhos Bala e Roger não perdoou. O atacante subiu sozinho e marcou de cabeça para os pernambucanos. Logo após o gol, a chuva voltou a apertar no Maracanã, atrapalhando o rendimento das duas equipes.

Após o gol do Sport e com a saída de Everton, machucado, para a entrada do argentino Sambueza, o Flamengo acordou. Aos 17, Marcelinho Paraíba ganhou na corrida e quase marcou após dividida com o goleiro Magrão. Em determinados momentos do jogo, o time carioca parecia desesperado com o resultado negativo. O zagueiro Ronaldo Angelim ficava mais tempo no ataque do que na zaga.

Aos 28, Caio Júnior optou pela saída de Ibson para a entrada de Vandinho. Os torcedores não perdoaram o treinador e xingaram o treinador de "burro". O meia, ao deixar o gramado, sequer olhou para o treinador, que bateu palmas para o seu comandado. Na arquibancada, os rubro-negros gritaram o nome do atleta.

No minuto seguinte, Ronaldo Angelim aproveitou cruzamento e cabeceou com força. Magrão defendeu com segurança no meio do gol. Aos 37, não teve jeito e o Flamengo empatou. Juan invadiu a área pelo lado esquerdo e tocou na saída do camisa 1 do Sport, que estava sem levar gols há 442 minutos. Sete minutos depois, Leo Moura cobrou escanteio e Vandinho escorou para decretar a virada.
Fonte: Globo.com
Márcio Iannacca / Rio de Janeiro

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

domingo, 21 de setembro de 2008

Flamengo derrota o Ipatinga e volta para o G-4


Flamengo e Ipatinga fizeram uma partida de uma nota só na noite deste domingo, no Maracanã. O time rubro-negro pressionou o jogo inteiro, com os mineiros se defendendo e tentando sair para o contra-ataque. A vitória de 1 a 0 deixou o Rubro-Negro com 43 pontos ganhos, uma vaga no G-4, e vivo na luta pelo hexacampeonato. Já o Ipatinga, com esta derrota, voltou para a lanterna do Campeonato Brasileiro e permanece com 24 pontos.

Na próxima rodada, o Flamengo recebe o Sport, sábado, às 18h20, no Maracanã. O Ipatinga vai enfrentar o Vasco, domingo, às 16h, no Ipatingão.

A pressão do Flamengo sobre o Ipatinga começou logo nos primeiros minutos de jogo. Aos 13 minutos, Leo Moura recebeu lançamento pela direita de ataque e chutou forte. O goleiro Fernando fez grande defesa. Com o meio-de-campo dominado, o time de Caio Júnior encontrava dificuldades para penetrar na defesa do Ipatinga.

Aos 30, o time mineiro assustou pela primeira vez. Gian chutou forte e Bruno espalmou para fora. Cinco minutos depois o Flamengo conseguiu abrir o placar. Marcelinho Paraíba recebeu pela esquerda e, da entrada da área, chutou rasteiro no canto direito de Fernando.

O segundo tempo começou como o primeiro, com o Flamengo pressionando o time do Ipatinga. Logo no primeiro minuto, Leo Moura cruzou para área e encontrou Ibson livre de marcação. Ele chutou tirando a bola do goleiro, mas ela foi para fora. Aos 13, o time rubro-negro fez uma bela troca de passes na entrada da área, mas Kléberson chutou e isolou.

O técnico Márcio Bitencourt fez as substituições e tornou o time mais ofensivo. O Ipatinga melhorou em campo e quase empatou no fim da partida. Em duas cobranças de falta o goleiro Bruno fez boas defesas e garantiu a vitória rubro-negra.
(fonte: Globo.com)

Voltamos ao G4

Frase do Washington Rodrigues o "Apolinho" (comentarista da Rádio Tupi): “Colocar a bola naquele lugarzinho. A brincadeira é essa”.
Definição simples e eficiente para mostrar a ineficiência do ataque do Flamengo, que conforme disse o analista: “O time acerta em quase todos os fundamentos, mas peca no fundamental”.
Estou com ele e não abro, porém lamento a falta de visão do CJ, quem tem o artilheiro do Brasil – Vandinho – que infernizou as defesas brasileiras este ano na serie B e continua sem oportunidade no meu mengão.
Ganhamos, isso é o que importa meio a zero, seja lá como for, vale três pontos uma vitória. Vamos aguardar o Sport (temos uma semana de treinamentos), que sabe até Alá não teremos um “time”.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Tirar o Jailton. Qual a dificuldade?

No último treino o time ficou ofensivo, praticamente com três atacantes: Marcelinho, Josiel e Vandinho.
O Flamengo atuou com a seguinte formação: Bruno; Jaílton (Vandinho), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leo Moura, Kleberson, Ibson, Everton e Juan; Marcelinho Paraíba e Josiel.
Perdemos na defesa? A fórmula é antiga: “a melhor defesa é o ataque”. Os atacantes auxiliando na marcação e antecipando o combate, torna o time ofensivo e tranqüilo para a defesa. Outra opção sem a saída do Jaílton é a de Ibson entrando Everton em sua lugar, não perderíamos em marcação, o menino marca direitinho e tem uma grande vantagem: erra menos passes.
Qual é a dificuldade de termos um time ofensivo?

Titulares vencem coletivo por 3 a 0



Josiel foi o destaque do treino
Josiel foi o destaque com dois gols. Everton, que ganhou uma chance, completou a vitória.
O elenco do Flamengo voltou aos trabalhos na tarde desta quinta-feira, no CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande. Visando à preparação para o jogo de domingo, contra o Ipatinga, no Maracanã, Caio Júnior organizou um coletivo contra o time de juniores.
Na atividade, Caio Júnior escalou a mesma equipe que enfrentou o São Paulo com: Bruno; Léo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Juan; Jailton, Kleberson, Ibson e Everton; Marcelinho Paraíba e Josiel. Os juniores, comandados por Adílio, entraram em campo com: Diego; Daivdson, Lucas, Wellington e Léo; Rafael Mazzei, Wellington Peca, Vinicius Colombiano e Renan; Vander e Bruno Paulo.
No primeiro tempo do coletivo, os titulares abriram o placar com Everton, após belo passe de Josiel. No final da primeira etapa, Josiel marcou mais um para os profissionais. Para o segundo tempo, Caio Júnior modificou a equipe, sacando Jailton e escalando Vandinho ao lado de Josiel. Com a alteração, Marcelinho Paraíba foi deslocado para o meio-de-campo, com Everton, Ibson e Kleberson completando o setor. Com essa formação, os titulares marcaram mais um gol, novamente com Josiel.
Depois do treino, Josiel elogiou a atuação da equipe rubro-negra.
-“Tivemos um bom volume de jogo no treinamento. Estamos procurando o melhor entrosamento, que só vem com a seqüência de jogos e treinos. Criamos boas chances de gol, e conseguimos definir”- afirmou o camisa 9.
Fonte: AgênciaFla

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

PAPO DE TORCEDOR

São Paulo 2 x 0 FLA. Anormal? Não. Mas, eu não aguento mais ter adversário marcando os laterais e pronto. Adeus Mengão!!! O Juan ontem foi ridículo!! Cheio de vontade, mas não acertou nenhum passe! O Léo novamente ou fica recuado ou se enfia pelo meio. O Kleberson hoje é mais lateral direito que o Léo Moura. Os dois únicos lances decentes do Fla foram no 2o tempo. Dois cruzamentos, 1 o Paraíba tocou em cima do Rogério e na outra o Vandinho bizonhamente errou a bola. Se tivessem feito os gols, era empate e estava ótimo para o Mengão. Mas, esconderia que o Jailton não serve pra NADA!!!! Que o Ibson errou passe de 2 metros de distância e PRINCIPALMENTE, que o Caio Jr demora demais pra mexer no time!!!! O Obina quase fez um no finalzinho... O que adianta ficar com 3 zagueiros se já estamos perdendo de 1 a 0. Trocar seis por meia dúzia enche o saco!!!! Resumo da ópera; O SP marcou os laterais e não precisou jogar quase nada pra ganhar de 2 a 0!!!

Josiel fala sobre a estréia no Flamengo



Entrevista concendida a Vinicius Castro do Flamengorj

O atacante Josiel estreou no Flamengo, ontem, na derrota frente ao São Paulo por 2 a 0, no Morumbi. O jogador agradou a alguns torcedores e desagradou a outros. Como todo o estreante, Josiel sentiu a falta de entrosamento e ritmo de jogo.

Em entrevista exclusiva ao FLAMENGO RJ, ontem, no desembarque do Flamengo, no aeroporto Santos Dumont, Josiel falou sobre a estréia e o momento do Flamengo no campeonato brasileiro.

Avaliação da estréia pelo Flamengo:

- Para mim foi dentro do esperado. Estava há muito tempo sem jogar e senti dificuldade pela falta de entrosamento com os colegas. Tive apenas um treino “pra valer” com o grupo e isso dificultou um pouco. Mas isso não é justificativa para a derrota. Sei que posso render mais e tenho que melhorar.

Resultado para o Flamengo:

- Jogamos abaixo do esperado. Tomamos um gol no final do primeiro tempo que mudou a história da partida. Se esse gol não tivesse acontecido, a história poderia ser outra no segundo tempo. Temos que ter tranqüilidade para trabalhar e reverter esse quadro em casa.

Foco no título:

- Temos que pensar no título. Temos chances e muitos jogos pela frente. Vamos ter jogos em casa e estamos confiantes em uma arrancada.

“Obrigação” de vencer Ipatinga e Sport:

- Se o Flamengo quer chegar ao título não temos outra saída. Precisamos vencer para seguir em busca desse objetivo. Vamos respeitar os adversários, mas pensamos em vencer daqui para frente.

Primeiro contato com a Nação Rubro-Negra:

- O primeiro contato foi acima do esperado. Sabia que a torcida compareceria ao Morumbi, mas não esperava aquilo tudo que vi. Temos que fazer a nossa parte dentro de campo para que eles continuem ao nosso lado nos apoiando.

fonte: AgênciaFla

Caio Júnior admite que o São Paulo foi melhor do que o Fla

Caio Júnior foi obrigado a admitir que o São Paulo foi superior ao Flamengo no jogo deste domingo, vencido pelo paulistas por 2 a 0, no Morumbi. Segundo o treinador rubro-negro, no todo, o Tricolor foi mais equilibrado e mereceu vencer.

- Não fizemos um grande jogo, e o São Paulo também não, mas marcou melhor. Deixamos a desejar. O primeiro tempo até que foi bom, com nosso time funcionando bem, usando o contra-ataque. Mas na segunda etapa, o adversário foi superior.

Com a derrota, o Flamengo caiu do quinto para o sétimo lugar, cedendo espaço para o próprio São Paulo e para o Vitória, que bateu o Coritiba por 1 a 0 e pulou para a sexta posição no Brasileirão. A diferença rubro-negra para o líder Grêmio continua de nove pontos, já que os gaúchos tropeçaram e foram derrotados pelo Goiás, por 2 a 1, no Olímpico
(fonte: globo.com)

domingo, 14 de setembro de 2008

SÃO PAULO 2 X 0 FLAMENGO

E só podemos concluir que temos um técnico incompetente ou "B", pois consegue, no mesmo campeonato, repetir idêntico erro que nos levou a ser derrotados pelo São Paulo no primeiro turno.
Só pra relembrar: na vitória contra o Figueirense no Maracanã o Flamengo envolveu o adversário com a presença do Max e goleou. No jogo seguinte: Caio Júnior contraria a máxima de que time que está ganhando não se mexe e barra o pequeno argentino e colocando o Tardelli contra o São Paulo e tomamos de 4.
Neste segundo turno, o baixinho voltou a infernizar o Figueira, deu conjunto e mobilidade ao ataque do Fla. Voltando a contrariar a máxima, novamente o Max foi barrado e entrou o Josiel - sem ritmo de jogo e comprometendo o ataque do mengão.
Nem no banco o baixinho foi colocado.
Flamengo esteve dormente, lerdo e com o Ibson voltando a jogar seu futebol - de constantes erros.
Teríamos um segundo tempo diferente o C. Júnior tivesse no intervalo substituído o Josiel por Sambueza, mas pelo contrário mostrou que é "iluminado" e trocou seis por meia dúzia, colocou Vandinho, confessando que tinha errado em sua primeira escalação.
Quando Caio entendeu que Sambueza não podia continuar no banco todo o segundo tempo, tirou o Ibson (que deveria ter saído no intervalo).
Mas, a vaca já tinha ido p'ro brejo e, como diz um político lagunense: "com bezerro e tudo".
Vamos esperar o jogo com o Ipatinga... Pelo menos neste jogo, apesar do Caio Júnior, venceremos... (Por favor, esqueçam o questionamento.)

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

PAPO DE TORCEDOR

Mengão fora de casa contra o frágil Figueirense, resultado: - Vitória!!! Que beleza!!! Não é bem assim... Primeiro de tudo quero elogiar a força de vontade dos jogadores!!! Reclamei no último post e os caras comeram a grama, como tem que ser. Segundo: O Ibson mais recuado, jogou muito bem!! Roubou bolas e passou bem. Ligando rapidamente meio com ataque, gostei. O Paraíba ainda continua desajeitado pra caramba, lento... sei lá, ainda não me conquistou, apesar do gol. O Léo Moura, agradou-me, apesar de cair muito pelo meio, acho que foi um dos destaques. Negativamente temos o Jailton, que não acerta NADA!!! E tem o Caio Jr, que tirou o Kleberson por contusão e colocou o Airton, fechando o meio e chamando o Figueira. Quase que a vaca vai pro brejo!!! Os caras fizeram o 1o e só não empataram por que o time estava muito desorganizado, tentando muito pelo meio e chuveirinho. E lógico, graças ao gol do Léo, que fechou a tampa do caixão. A tempo, não acho que o Bruno falhou no gol do Figueira, agora Jailton, senta!! Ali do ladinho do Obina!!! Senta Jailton!!!

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Decola Urubu

Que felicidade ver meu Mengão novamente conquistando uma vitória fora de casa. Vitória essa importante na luta para chegarmos à ponta. Sei que o caminho é longo e difícil, o time precisa de alguns ajustes, tem alguns erros. O Bruno vem deixando a desejar, anda falhando em alguns lances, que até parecem simples para quem é acostumado a grandes defesas, espero que seja apenas uma fase, já que para mim nosso goleiro é o melhor do mundo.
Com um toque de bola envolvente, o Flamengo venceu o Figueirense por 3 a 2 chegando aos 40 pontos e ficando pelos menos até sábado na quarta posição. Agora é torcer contra o Botafogo.

OS JORNAIS DO DIA SEGUINTE

O GLOBO

Fla vence outra fora de casa e volta à zona da Libertadores
Rubro-negro derrota o Figueirense por 3 a 2 e sobe para o quarto lugar
MARCELINHO PARAÍBA comemora seu gol, o segundo do Flamengo
FLORIANÓPOLIS. Em mais uma atuação convincente desde que reforçou seu elenco, o Flamengo celebrou ontem a volta à zona de classificação para a Libertadores. O time derrotou o Figueirense por 3 a 2, conquistou sua quarta vitória como visitante no Brasileiro e chegou à quarta posição.
No primeiro tempo, bastou colocar a bola no chão para o Flamengo impor sua maior qualidade. Aos 17, Marcelinho Paraíba fez belo cruzamento e Ronaldo Angelim abriu o placar de voleio. O Flamengo criava muito. Aos 20, Marcelinho Paraíba tocou de calcanhar para Leonardo Moura quase marcar. Aos 22, a tabela de Maxi e Marcelinho quase terminou em gol. Aos 40, em linda troca de passes, Leonardo Moura lançou Ibson, que tocou para Marcelinho Paraíba entrar na área e, com categoria, fazer 2 a 0. Aos 42, Leonardo Moura, do meio-campo, tentou encobrir Wilson. A bola passou rente ao travessão.
Vandinho e Sambueza participam do terceiro gol
No segundo tempo, o Flamengo parecia ter deixado suas virtudes no vestiário. Aírton substituiu Kleberson, mas o time dava espaços na entrada da área. Assim, aos cinco minutos, Rafael Coelho acertou belo chue descontou. O Flamengo tinha dificuldade para contra-atacar e sofria pressão. Aos 20, Cleiton Xavier cruzou, Tadeu cabeceou e Bruno salvou.
Caio Júnior lançou Vandinho e Sambueza, o Flamengo melhorou e voltou a dominar. Aos 35, Sambueza lançou Vandinho, que ajeitou e Marcelinho Paraíba cabeceou. Na rebatida de Wilson, a bola sobrou para Leonardo Moura fazer 3 a 1. Aos 47, Tadeu diminuiu.
Figueirense: Wilson, Anderson Luís, Bruno Aguiar (Diogo), Asprilla e William Matheus; Gomes, Leandro Carvalho, Ramon e Cleiton Xavier; Wellington Amorim (Tadeu) e Rafael Coelho. Flamengo: Bruno, Leonardo Moura, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim e Luizinho; Jaílton, Kleberson (Aírton), Ibson e Éverton (Sambueza); Marcelinho Paraíba e Maxi (Vandinho). Juiz: Luiz Flávio de Oliveira (SP). Cartões amarelos: Fábio Luciano, Leonardo Moura, Jaílton, Éverton, Asprilla, Gomes, Rafael Coelho e Cleiton Xavier.

FLAMENGO
BRUNO: O goleiro foi surpreendido pelo chute com efeito de Rafael. 5.
JAÍLTON: Envolvido por Tadeu no lance do segundo gol. 4.
FÁBIO LUCIANO: Perdeu a maioria dos combates individuais, mas não comprometeu. 6.
RONALDO ANGELIN: Fez um gol típico de atacante. Atrás, mostrou muita segurança. 7,5.
LEONARDO MOURA: Marcou o terceiro gol do Flamengo no momento em que o Figueirense pressionava. 8,5.
KLEBERSON: Rápido e com boa visão de jogo, soube fazer a bola chegar com velocidade e perigo ao ataque. 6,5. AÍRTON entrou em seu lugar no intervalo e ajudou na marcação. 6.
IBSON: Autor do belo passe para Marcelinho Paraíba. 7.
EVERTON: Muito marcado, teve dificuldades para criar. 5. SAMBUEZA entrou em seu lugar e melhorou a qualidade do passe no time rubro-negro. 7.
LUIZINHO: Apoiou quando pôde, mas pecou nos passes. 5.
MARCELINHO PARAÍBA: Fez um golaço e ainda participou dos outros dois, fazendo o cruzamento sob medida para Ronaldo Angelim e tocando de cabeça no gol de Leonardo Moura. 8.
MAXI: Muita disposição e pouca técnica. 4,5. Saiu para a entrada de VANDINHO, que participou do terceiro gol. 6.
CAIO JÚNIOR: Teve méritos ao mexer certo no time, que dominou o primeiro tempo e soube resistir à pressão dos donos da casa. 7.
FIGUEIRENSE
O time abusou das faltas. Destaque para Rafael e Tadeu, autores dos gols.
ARBITRAGEM
Confuso, o juiz paulista Luiz Flávio de Oliveira ignorou faltas violentas e por pouco não perdeu o controle da partida.




JORNAL DOS SPORTS

Flamengo vence e volta para o G4

Rubro-negro bate Figueirense e conta com tropeços dos adversários

Felipe Augusto - felipeaugusto@jsports.com.br

O Flamengo venceu o Figueirense por 3 a 2, nesta quarta-feira, em Florianópolis. Com a vitória, o Rubro-negro chegou a seis jogos invicto e voltou para o G4 graças à derrota do Vitória para o Santos e ao empate do São Paulo contra o Atlético-MG no Mineirão.
O jogo começou movimentado com as duas equipes correndo muito. O Figueirense chegava ao ataque, mas a defesa do Flamengo trabalhava bem. O time catarinense arriscava chutes de fora da área para tentar abrir o marcador. Porém, foi o Rubro-N egro que abriu. Aos 17 minutos, Marcelinho Paraíba cruzou da direita para Ronaldo Angelim que, de primeira, abriu o placar no Orlando Scarpelli. 1 a 0 para o Mengão.
A equipe carioca não se intimidou e partiu para cima do Figueira. Aos 20, Marcelinho deu um belo toque de calcanhar para Leonardo Moura. O lateral chegou batendo, a bola desviou na zaga catarinense e saiu por cima do gol do goleiro Wilson. Enquanto o Flamengo seguia dominando o jogo valorizando a posse de bola, o Figueirense tentava os contra-ataques para buscar o empate da partida. De tanto pressionar, o Fla chegou ao segundo. Marcelinho recebeu na área, driblou o zagueiro e deu um lindo toque no canto esquerdo de Wilson. 2 a 0. Um primeiro tempo de pleno domínio do time rubro-negro.
Fla cai no início do segundo tempo
Na segunda etapa, logo aos cinco minutos, o Figueira diminuiu. Rafael Coelho soltou uma bomba da entrada da área, Bruno ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir o gol da equipe catarinense. 2 a 1. Os mandantes começaram a gostar do jogo e buscavam o gol de empate. O Flamengo voltou do intervalo muito mal e não conseguia repetir a boa atuação dos 45 minutos iniciais. Com as constantes roubadas de bola de Ibson no meio-campo, o Rubro-Negro tentava chegar nos contra-ataques ao gol do goleiro Wilson e mantinha a maior posse de bola.
Até que aos 35, Sambueza cruzou da direita, Vandinho tocou de cabeça para Marcelinho, que escorou na goleiro. Na sobra, Leo Moura de peixinho ampliou o placar para o Mengão. 3 a 1. No final, aos 47, Tadeu ainda descontou para o Figueirense fechando o placar em 3 a 2.
A próxima partida do Flamengo é o clássico contra o São Paulo, dia 14, no Morumbi.